notíciassbb


Suicídio: a prevenção sob novos aspectos

"Introdução à Prevenção e Posvenção do Suicídio", é a mais nova disciplina optativa que a Universidade de São Paulo de Ribeirão Preto está inserindo na grade curricular de sua Escola de Enfermagem. O objetivo é capacitar os alunos da graduação a identificar e prevenir situações de risco de suicídio dos pacientes e combater o preconceito que envolve essa atitude.

Mas os desafios vão além: os alunos terão a oportunidade de desenvolver competências para identificar as necessidades de saúde e elaborar ações de cuidado voltadas não apenas para o indivíduo, mas para seus familiares.

Iniciativa inédita, apresentada pela professora doutora do curso de enfermagem, Kelly Graziani Giacchero Vedana, a disciplina sobre prevenção do comportamento suicida começará a ser ministrada em agosto, com previsão de término em novembro. Pretende também desenvolver - junto aos graduandos - cursos e palestras direcionadas ao público leigo sobre o tema.

Estatísticas

No Brasil, as estatísticas são assustadoras quando o tema é suicídio. De acordo com dados do Ministério da Saúde (MS), com uma média nacional de 5,5 mortes por 100 mil habitantes, o país registrou, entre 2011 e 2016, 62.804 ocorrências de suicídio. O levantamento também mostra que as situações mais recorrentes envolveram homens (79% dos casos) e foram concretizadas por enforcamento (62%). Ainda segundo o MS, somente no Estado de São Paulo, no mesmo período, foram registrados 8.585 suicídios. Além das mortes concretizadas, entre 2011 e 2016 ocorreram em todo país outras 48.204 tentativas, 69% delas praticadas por mulheres. Um terço das vítimas tentou o suicídio mais de uma vez.

Rede Nacional de Prevenção ao Suicídio

A partir deste 1° de julho, o número 188 passa a valer para todo o território nacional como telefone de apoio para quem precisa falar com alguém no momento que pensa em cometer suicídio. O fone é do Centro de Valorização da Vida (CVV) e já está disponível em todo o país (5.500 municípios) em parceria com o Ministério da Saúde.

Pronto para escutar qualquer pessoa que esteja passando por dificuldades, o CVV recebeu, em 2017, cerca de 2 milhões de ligações e estima que elas possam ultrapassar, neste ano, os 2,5 milhões.

De acordo com os voluntários do CVV,  o suicídio, em si, é uma ação impulsiva, mas esconde um processo mais profundo para o ato e que exige atenção dos profissionais que atuam no atendimento, como o isolamento e a falta de contato com a família e amigos, desistência de hobbies, depressão e o abuso de álcool e drogas.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, 90% dos casos de suicídio poderiam ser evitados.


Fontes:
Ministério da Saúde
Folha de São Paulo
G1 - Ribeirão e Franca

 

 

Crédito da imagem: obviusmag.org