notíciassbb


Manipulação genética gera relatório polêmico

Relatório publicado pelo Conselho de Bioética de Nuffield, o principal órgão na área da Bioética no Reino Unido, foi contestado veementemente pelo diretor do grupo Human Genetics Alert, o químico e assessor científico britânico David King. O documento afirma que a modificação do DNA de um embrião humano poderia ser permitida se servisse ao melhor interesse na geração de crianças livres de certas doenças, mas os autores infatizam a importância de realizar um número maior de pesquisas e estuds sobre a segurança e a eficácia da modificação genética em humanos.

Em entrevista concedida a uma agência de notícias internacional, King contestou as técnicas de modificação genética de embriões humanos, alertou para o fato de que em vários países existe legislação específica que proíbe esse procedimento, e esclareceu que excelentes tecnologias já foram desenvolvidas para ajudar a evitar o nascimento de crianças doentes.

A preocupação de King fundamenta-se na possibilidade de surgir um mercado livre destas tecnologias "e que os pais, estimulados pelo desejo natural de criar condições para que seus filhos tenham o melhor começo de vida possível, recorram a este mercado para que seus descendentes usufruam de uma vantagem competitiva em relação à população." A questão ética vem à tona: crianças de pais ricos seriam favorecidas, saudáveis e competitivas, enquanto aquelas nascidas em famílias mais pobres ficariam em desvantagem, em todos os contextos para uma vida plena, tanto na infância como na idade adulta.

Ao ser questionado sobre testes fetais que indicam anormalidades e condições específicas que às vezes levam à interrupção da gravidez,  King afirmou que a questão do aborto é complexa porque envolve, além da ética, religião. Ativista dos direitos de pessoas especiais no Reino Unido, King relatou que há um grande receio de que procedimentos desenvolvidos para evitar que nasçam crianças deficientes mascarem, na realidade, a continuação da eugenia...

Veja o relatório original, na íntegra: Genome editing and human reproduction: social and ethical issues

 

Fontes:
nuffieldbioethics.org
sputniknews.com