notíciassbb


Nature publica estudo sobre reativação de células cerebrais em porcos e estimula reflexão ética e médica sobre vida e morte

 

Tratamento especial com um substituto do sangue reativou o funcionamento de alguns vasos sanguíneos do cérebro e algumas células cerebrais que, acredite, mostraram recuperação da atividade metabólica que incluiu respostas a algumas drogas.

 

O estudo, publicado pela revista científica Nature neste 17 de abril (veja link ao final deste texto), desafiador para os conceitos atuais da Medicina sobre o tema, é preliminar e precisa reunir muitas outras pesquisas e dados para inferir que o procedimento possa ser aplicado no tratamento de lesões cerebrais graves em humanos.

 

O experimento

 

Um time de cientistas da Universidade Yale (EUA) desenvolveu um sistema chamado BrainEx, que bombeia uma solução experimental no cérebro e aplicou no órgão de 32 porcos mortos para consumo: os cérebros dos animais estavam sem circulação sanguínea e foram mantidos por 4 horas em temperatura ambiente. A solução foi então bombeada durante seis horas nos cérebros dos porcos, oxigenando os tecidos.

 

O estudo usou dois grupos-controle de cérebros para comparação com grupo-teste: um deles não recebeu a subtância BrainEx e o outro recebeu uma substância inerte.

 

Durante o procedimento os pesquisadores tomaram dois cuidados:

 

1) algumas substâncias presentes na solução BrainEx bloquearam os sinais dos nervos, pois eles acreditavam que as células inativas ficariam mais preservadas e, assim, seus metabolismos poderiam ser reiniciados;
2) para evitar o risco da possibilidade dos animais recobrarem a consciência, no caso de qualquer sinal elétrico anestesiariam o órgão, resfriando-o e impossibilitando rapidamente a continuidade do processo.

 

Grandes questões éticas e bioéticas sobre a vida e a morte devem instigar a nossa reflexão a partir de agora. Mais: será possível, no futuro, recuperar células cerebrais que sofreram sérios danos em razão de ataques cardíacos e AVCs?

 

SAIBA MAIS:

 

Pig brains kept alive outside body for hours after death


Fontes:

The New York Times
Nature

 

Crédito da imagem da home:
AFP PHOTO / NATURE PUBLISHING GROUP / Sestan Laboratory / Yale School of Medicine / Stefano G. Daniele & Zvonimir Vrselja