notíciassbb


SBB recebeu convidados ilustres para uma live sobre o controle da COVID-19: o ex-Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e Mariângela Simão, Diretora Geral Adjunta da OMS

 

O ex-Ministro da Saúde, Dr. José Gomes Temporão, e a Dra. Mariângela Simão, Diretora Geral Adjunta da Organização Mundial de Saúde (OMS), em Genebra, aceitaram o convite de Dirceu Greco, presidente da Sociedade Brasileira de Bioética (SBB), para participarem de uma live com o tema "Pool Internacional de Licença Intelectual Voluntária para Medicamentos e Insumos Desenvolvidos para o Controle da Covid-19".

 

Temporão e Mariângela têm expressiva e reconhecida representação, nacional e internacional, na defesa dos direitos humanos, da saúde e da democracia.

 

Esse encontro, moderado por Greco, foi histórico, principalmente considerando o cenário sombrio que estamos vivenciando no país em vários segmentos, em especial no setor da Saúde, com o avanço no número de casos da Covid-19.

 

Mariângela alertou para o relaxamento social que está sendo adotado em várias cidades brasileiras, classificando-o como extremamente prejudicial para o estancamento dos focos de novos surtos da COVID-19: "Embora o novo coronavírus seja democrático, atingindo tanto os ricos como os mais vulneráveis, a epidemia veio escancarar ainda mais as diferenças entre as classes sociais no país". E afirmou: "Países que apresentaram unicidade de atitudes do governo, demonstrando alto grau de confiança para a população no enfrentamento da crise provocada pela epidemia, por meio da divulgação de informações transparentes, obtiveram melhores resultados no controle do número de casos e no atendimento dos pacientes mais graves."  Mas, está confiante no avanço das pesquisas para a obtenção de uma vacina, embora exijam altos investimentos: "Vejo saídas e sou otimista com relação ao futuro, pois acredito que o mundo possa ser melhor, reduzindo as injustiças sociais numa nova arquitetura global mais humana e solidária."

 

Para Temporão, o Brasil perdeu uma grande oportunidade para dar exemplo ao mundo de como enfrentaria a pandemia: "O país tinha todas as condições para fazer diferente, pois participou de grandes ações junto à Organização Mundial da Saúde, com atuações extremamente importantes na Organização Pan-americana, por exemplo sobre Aids e transplantes." E afirmou: "A expectativa mundial era grande de que o Brasil enfrentasse essa situação de maneira bem diferente." Embora ciente de que o desenvolvimento de uma vacina necessite de tempo para que seja eficaz e segura, além de estar disponível para todos, o ex-ministro da Saúde também é otimista quando cita a parceria do Instituto Butantan com outros países nestes estudos, "fundamental para possibilitar a testagem de 9 mil voluntários brasileiros, colocando o país no vértice deste grande desafio."

 

 

Para rever a íntegra da live, que aconteceu em 17 de junho,
acesse
nosso canal no YouTube