notíciassbb


WeCope divulga recomendações para a triagem de pacientes com COVID-19, explicadas por Nilza Diniz, única representante brasileira no Comitê


Nilza Diniz durante sua aula na UEL (foto pessoal)

 

 

Como realizar a triagem de pacientes com COVID-19 considerando os princípios éticos? A questão é complexa, mas o Comitê Mundial Emergencial de Ética para a Pandemia da COVID-19, do inglês World Emergency COVID19 Pandemic Ethics (WeCope) Committee, divulgou um documento com quatro recomendações fundamentais e que podem ajudar a direcionar respostas e ações.

 

Nilza Maria Diniz, professora do Departamento de Biologia Geral do Centro de Ciências Biológicas (CCB), da Universidade Estadual de Londrina (UEL-PR), membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Bioética, e única representante brasileira no WeCope Committee, explica que as instruções definidas pelo Comitê Mundial foram necessárias "em função da condição do novo coronavírus, pela sua disseminação rápida e considerando ainda o alto número de infectados."

 

Diniz lembra que muitas vezes os serviços de saúde acabam se organizando - por causa da sua capacidade - para atender pacientes graves acometidos pelo COVID-19 e não há tempo e nem tampouco recursos para elaborar protocolos para a realização da triagem e do atendimento: "Nessas diretrizes, alguns princípios são essenciais, como o respeito à dignidade humana, justiça distributiva, não discriminação e a tomada de decisão compartilhada."

 

Todos esses princípios reúnem desafios éticos importantes e alguns deveres precisam ser incorporados aos protocolos clínicos, como por exemplo "a acuidade moral, planejamento, apoio aos profissionais de saúde, grupos de proteção aos mais vulneráveis", destaca a professora.

 

As quatro recomendações do WeCope são as seguintes:

 

Recomendação 1: As pessoas precisam conhecer a base ética e a justificativa moral quando, ou seus entes queridos, não recebem tratamento ou têm acesso a recursos escassos, como ventiladores ou falta de acesso a hospitais.

 

Recomendação 2: Comitês de triagem devem ser formados em hospitais, em preparação para em tempos de crise, para ajudar os profissionais de saúde a decidir quais pacientes teriam atendimento, com base em dados clínicos.

 

Recomendação 3: A proteção dos vulneráveis é um princípio ético essencial.

 

Recomendação 4: Idade, sexo, raça, etnia, deficiências existentes, morbidades e/ou condições crônicas preexistentes não devem ser usadas para excluir e/ou negar tratamento ou atendimento a pacientes com COVID-19.

 

A pedido da Agência UEL, Nilza Diniz comentou cada uma das quatro recomendações que integram o documento do WeCope Committee que, segundo ela, "estabelece os princípios e os desafios éticos em relação aos protocolos de tomada de decisão frente à triagem de pacientes com COVID-19".

 

Clique em cada um dos links abaixo para ouvir os comentários da professora:

 

Recomendação 1

 

Recomendação 2

 

Recomendação 3

 

Recomendação 4

 

 

Fonte: UEL