notíciassbb


Covid-19 e Medicina Baseada em Evidências: encontro virtual contou com a participação da SBB. Acompanhe!

 

 

"O Exercício da Medicina e os Desafios do Pensamento Baseado em Evidências em Tempos de Pandemia da Covid-19" foi o tema central do Módulo XXV, do Projeto Sexta (Cesta) da Ciência!*, realizado na tarde deste 11 de setembro de 2020.

 

O encontro virtual foi promovido pela Gerência de Ensino e Pesquisa do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), e reuniu o jornalista Carlos Orsi, escritor, diretor do Instituto Questão de Ciência e Editor-Chefe da Revista Questão de Ciência; Dirceu Greco, médico infectologista, Professor Emérito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e presidente da Sociedade Brasileira de Bioética (SBB) - Gestão 2019-2021 e Munir Massud, médico pneumologista, Professor aposentado do Curso de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), médico aposentado do Hospital Universitário Onofre Lopes - HUOL/RN, Doutor pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Carlos Alberto Almeida de Araújo, Professor Doutor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Pós-Doutor pela Duke University, Gerente de Ensino e Pesquisa do Hospital Universitário Onofre Lopes - HUOL/RN (GER/HUOL), mediou as palestras e os debates.

Para Dirceu Greco, presidente da SBB, "A epidemia escancarou, ainda mais, a vulnerabilidade da população brasileira, tornando explícitas as crises ética, sanitária, social, política e econômica.” Ao afirmar que o processo de reestruturação do país é extremamente necessário em todos os níveis, o professor acredita que “valorizar o papel da ciência e dos direitos humanos é fundamental." E lembrou: “Estamos há mais de cem dias sem Ministro da Saúde oficial no país, confirmando, infelizmente, a liderança irresponsável que preside o Brasil... Mas, essa barbárie poderia ter levado o país ao caos se não fosse a atuação do nosso heroico Sistema Único de Saúde, apesar de subfinanciado e menosprezado.” De acordo com o professor, algumas, entre tantas ações, precisam mobilizar a sociedade e as instituições brasileiras: "Devemos ficar atentos às populações vulnerabilizadas; exigir a recuperação do SUS, com financiamento digno e constante, capaz de continuar garantindo o atendimento de toda a população." Greco alerta: "Devemos ter um cuidado extra com essa 'volta à pseudonormalidade'... Embora nunca tenha havido normalidade neste país, devemos aproveitar este momento de mudanças para estimular a ética, a comunicação, a ciência e o SUS."

 

Massud citou diversas questões, todas imprudentes e inconsequentes do governo atual, impedindo o enfrentamento correto da pandemia da Covid-19. Entre elas, o palestrante citou: "São inadmissíveis: o incentivo para o uso da cloroquina sem qualquer comprovação científica de seu benefício em qualquer um dos estágios da doença; o desprezo consciente de posturas recomendadas pela ciência e por instituições de saúde nacionais e internacionais para redução do contágio e de óbitos que seriam perfeitamente evitáveis se houvesse uma direção forte e concisa para o enfrentamento da pandemia desde o primeiro caso no pais." E complementou: "Só a educação poderá solucionar alguns dos problemas que hoje enfrentamos, na pós-pandemia e em outras pandemias que, com certeza, estaremos enfrentando."

 

Orsi relatou as dificuldades em realizar jornalismo da saúde em época de pandemia: “A cobertura e a divulgação dos dados dependem de indicadores indiretos de credibilidade e, no contexto atual, todos eles foram sequestrados ou pervertidos e, além disso, está muito difícil separar as informações boas das ruins.” E acrescentou: “A desinformação é compartilhada por um número grande de pessoas, tornando a seleção natural das mensagens muito cruel.” Para ele, alguns pontos são fundamentais neste momento, para a divulgação de informações relacionadas à Covid-19: "Não desanimar e oferecer sempre a ciência; tentar produzir conteúdo claro e de fácil compreensão do público leigo; oferecer referências independentes; lembrar dos consensos científicos; sempre ser autêntico, evitando sarcasmos; iniciar os textos sempre com a informação correta". E alerta: "Lembrar, sempre, que a sua mensagem direciona-se para um público maior e não para um grupo de fanáticos, e a informação deve mirar o grande público que está curioso e geralmente mal informado..."

 

 

Para assistir ao debate completo, clique em 
Módulo XXV - Projeto Sexta (Cesta) da Ciência!

 

 

 

* O projeto Sexta (Cesta) da Ciência!, promovido pela Gerência de Ensino e Pesquisa do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), surgiu a partir de duas constatações: a pandêmica negação à ciência e a necessidade da academia chegar mais pronta e rapidamente à população em geral. Objetivo: contribuir para que as Universidades passem a atuar fora dos seus domínios físicos e possam divulgar, assim, o método científico de uma forma mais prática e fácil de ser entendido por todos.