notíciassbb


Ética em epidemias e o lançamento de vacinas foram temas de webinar internacional com presença da SBB

 

Dirceu Greco, Gagandeep Kang, Marc Lipsitch e Pearson Nkhoma durante o encontro virtual

 

 

The Global Health Network realizou em 29 de março um amplo debate virtual com o mote "Epidemics Ethics: A grand experiment: ethical responsibilities in the global rollout of COVID-19 vaccines".

 

Sob a coordenação de Gagandeep Kang (Wellcome Trust Research Laboratory, Christian Medical College, Vellore, India), o encontro contou com palestras de Marc Lipsitch (Harvard T.H. Chan School of Public Health, Boston, MA), de Dirceu Greco (Universidade Federal de Minas Gerais e presidente da Sociedade Brasileira de Bioética), e de Pearson Nkhoma (Malawi-Liverpool-Wellcome Trust Clinical Research Unit, Blantyre, Malawi).

 

O evento

 

A velocidade e o avanço sem precedentes dos lançamentos globais de vacinas contra COVID-19 estão desempenhando um papel crítico na resposta eficaz à pandemia. As decisões sobre o desenvolvimento mundial das vacinas foram tomadas rapidamente, baseadas nas melhores descobertas de pesquisas clínicas disponíveis.

 

Entre as diversas questões abordadas durante o debate, destaques para:

 

- Quais as responsabilidades éticas que surgem para monitorar segurança e eficácia das vacinas pandêmicas desenvolvidas e aplicadas enquanto ainda são avaliadas em ensaios clínicos?

- Qual será o impacto global e como será feita a distribuição equânime de mais de oito milhões de doses de vacinas por dia, contra COVID-19?

- Quais mecanismos devem ser adotados para garantir a capacidade sustentada de monitoração e avaliação dos resultados da imunização?

 

A base do painel para o desenvolvimento das discussões foi pautada em três tópicos fundamentais:

 

1) Quais responsabilidades surgirão e quem se responsabilizará pela segurança e eficácia das vacinas desenvolvidas para Covid-19 na saúde pública, durante o lançamento excepcionalmente precoce de diversos tipos de imunizantes?

2) Como os sistemas de saúde, já colapsados pela pandemia, deverão priorizar, de forma global, a dispensação e o monitoramento das vacinas aplicadas?

3) Serão suficientes as evidências existentes de segurança e eficácia das vacinas liberadas para justificar que os índices de aplicação superem as capacidades locais de monitoramento e avaliação dos resultados dos imunizantes?

 

Se vcoê perdeu o evento ou quer rever as discussões CLIQUE AQUI

 

Outras informações