notíciassbb


Acompanhe entrevista exclusiva com o presidente do XIV Congresso Brasileiro de Bioética, prof. Edson Umeda

 

A décima quarta edição do Congresso Brasileiro de Bioética está chegando! E com ela a sexta edição do Congresso Brasileiro de Bioética Clínica e a primeira Jornada dos Comitês de Bioética Hospitalar.

 

De importância inquestionável para a comunidade científica e para a sociedade, considerando o momento vivido pelo planeta em razão da pandemia de Covid-19, dos alertas constantes e presentes sobre as transformações brutais do clima, das desigualdades e vulnerabilidades sociais conhecidas e escancaradas com o caos pandêmico global,  o tema central do Congresso Brasileiro de Bioética deste ano não poderia ser mais pertinente: "A Terra em suas diversas formas e interações."

 

Palestras, debates, mesas redondas para estimular ações e reflexões éticas e bioéticas serão amplamente realizadas no modo virtual, estreitando a relação entre os convidados, nacionais e internacionais, e os inscritos para acompanhar integralmente o evento.

 

Veja, a seguir, uma entrevista com o presidente do Congresso Brasileiro de Bioética, prof. Edson Umeda (foto), concedida em meio às preparações finais do evento, que acontece entre os dias 29 de setembro e 02 de outubro próximo:

 

Sociedade Brasileira de Bioética - Quais são suas expectativas para esta décima quarta edição do nosso Congresso Brasileiro de Bioética, que inclui a sexta edição do Congresso Brasileiro de Bioética Clínica e a primeira Jornada dos Comitês de Bioética Hospitalar?

Edson Umeda: Minhas expectativas são de máximo sucesso, por várias razões, entre elas a qualidade dos palestrantes e os temas que serão desenvolvidos, numa reflexão franca e necessária. Temos análises extremamente prioritárias que se encontram com decisões atuais de dilemas morais que permeiam, por exemplo, a pandemia, mas também podemos citar as questões ambientais e as questões pertinentes às populações vulneráveis.

 

SBB - O que motivou a escolha da temática central desta edição do Congresso "A Terra em suas diversas formas e interações"?

U - Acreditamos que este tema central deve ser alvo de muitas considerações no momento que vivemos e para o futuro bem próximo, refletir como tratamos o "lar" em que vivemos e como, a partir daí, repercutem as reverberações nas tratativas entre os povos, ou mesmo com nossos vizinhos de porta.

 

SBB - Em razão da pandemia de Covid-19, esta edição será totalmente virtual. Além da possibilidade de participação de inscritos e palestrantes de vários locais, inclusive de outros países, quais os pontos positivos que sr. visualiza com essa interação à distância?

U - A tecnologia, como já discutimos nos temas de bioética, trazem avanços, mas também trazem situações novas, e diante do novo, novos dilemas morais acontecem e devem ser discutidos por ferramentas no âmbito acadêmico, político e sobretudo em canais que aproximem a sociedade destas questões. Canais de informação, dignos, transparentes e formadores de opiniões devem atentar para as questões de dignidade da pessoa humana. Assim, como fator positivo podemos dizer que as agendas ficaram mais possíveis, portanto, teremos palestrantes de diversos países que não necessitarão se deslocar para poder divulgar seu pensamento e juízo sobre valores éticos e bioéticos.

 

SBB - Como foram realizados os convites para os palestrantes que já confirmaram presença no evento e como foi feita a seleção dos tópicos escolhidos para as aulas e debates?

U - As decisões sobre o todo partiram de definições colegiadas com foco no tema central escolhido. Uma brilhante e laboriosa comissão da Regional de São Paulo e da Nacional, da Sociedade Brasileira de Bioética, em comum acordo e sintonia, decidiram pela escolha de temas relevantes para a atual situação mundial e brasileira, e enviaram os convites para conhecidos e renomados oradores, mas também a novos rostos na bioética.

 

SBB - Nomes importantes da bioética nacional e internacional estarão presentes. Todos os palestrantes de destaque no cenário da Bioética, o senhor poderia comentar mais especificamente sobre as conferências de abertura (James Dwyer) e de encerramento (Mariângela Simão-OMS)?

U - A palestra de abertura está confirmada com Dwyer, professor da Universidade do Estado de Nova York, que tem pesquisado sobre várias questões éticas, dentre elas a justiça ambiental e a responsabilidade moral, é como estes tópicos se traduzem nas imigrações dos povos em razão da crise climática, suas repercussões políticas e de justiça das sociedades.  A Dra. Mariângela Simão, por sua vez, irá apresentar um espectro geral do “Estado atual e perspectivas da pandemia na saúde Global”, já que mais recentemente a Covid-19 vem sendo tratada como uma sindemia.

 

SBB - Ao final dos quatro dias do evento, que acontece entre os dias 29 de setembro e 2 de outubro, os debates sobre bioética, direitos humanos, cidadania, diversidade e meio ambiente fortalecerão ideias, posturas e decisões. Qual sua opinião a respeito desses futuros desafios, concebidos a partir das palestras e reflexões do evento?

U - Acredito num envolvimento de absorção de cultura, de forma fugaz, pois teremos só 4 dias de Congresso. Mas ressalto a profundidade no conhecimento e no fortalecimento de bases teóricas até aqui paradigmáticas, o que nos faz responsáveis por estandartes de críticas éticas e de insufladores de intervenções bioéticas.

 

 

Se você ainda não se inscreveu para participar ativamente do XIV Congresso Brasileiro de Bioética, pode fazê-lo agora clicando AQUI 

 

Confira a programação, temas e palestrantes dos 4 dias do evento