notíciassbb


Em Nota Técnica, Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 (MS) ratifica segurança da vacina para crianças

Rosana Leite de Melo, chefe da Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, do Ministério da Saúde, assinou Nota Técnica reforçando a segurança da imunização de crianças. O texto, enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), contribui com a posição da Advocacia-Geral da União (AGU), em ação movida pelo Partido dos Trabalhadores (PT) no STF, e cobra um calendário, urgente e transparente, para a imunização de crianças contra a Covid-19, a ser apresentado pelo Governo Federal (conforme solicitado pelo Ministro Ricardo Lewandowski).

 

“Antes de recomendar a vacinação da Covid-19 para crianças, os cientistas realizaram testes clínicos com milhares de crianças e nenhuma preocupação séria de segurança foi identificada”, diz a Nota. De acordo com Melo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realiza uma análise técnica de "forma rigorosa e com toda a cautela necessária". O documento enfatiza: "os imunizantes estão sendo monitorados com o programa de segurança mais abrangente e intenso da história do Brasil".

 

A Secretaria do Ministério ainda reforçou: “O PNI (Plano Nacional de Imunização) monitora a segurança de todas as vacinas contra Covid-19 depois que elas são autorizadas ou aprovadas para uso, incluindo o risco de miocardite em pessoas acima de 12 anos de idade”.

 

A Nota Técnica contraria a posição do presidente da República e do ministro da Saúde atual, que questionam a segurança da vacinação para crianças de 5 a 11 anos contra Covid-19, divergindo - novamente - das orientações da ciência e dos profissionais da saúde.

 

Em Consulta Pública direcionada a leigos (!), com questões dúbias (conforme a opinião de médicos e pesquisadores), o ministro da Saúde e o Governo Federal afirmaram que a tomada de decisão sobre o caso está "prevista" para a primeira semana de janeiro de 2022.

 

 

Fontes: G1/Anvisa