notíciassbb


SBB participa de grande plenária da Frente pela recuperação do SUS 100% público, a partir das definições do novo Governo

 

Um amplo encontro virtual realizado pela Frente Pela Vida nesta quarta-feira, 9 de novembro, reunindo mais de 60 representantes de entidades científicas, profissionais, movimentos sociais e partidos de esquerda, marcou um primeiro grande debate após a eleição do terceiro mandato de Luis Inácio Lula da Silva. A ocasião foi marcada pelo diálogo com representantes da equipe de transição de governo da área da saúde e pautou uma avaliação sobre a campanha e os desafios do presidente eleito Luis Inácio Lula da Silva.

 

Elda Bussinguer e Dirceu Greco, atual e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Bioética, respectivamente, estiveram presentes, pois a entidade faz parte ativa do movimento Frente Pela Vida desde sua formação.

 

Numa demonstração de reforço da sua unidade, a Frente destacou seu compromisso com políticas em torno do SUS %100 público, e não ao redor de nomes. Nas próximas semanas, a Carta-Compromisso da Frente, aprovada na Conferência Livre, Democrática e Popular de Saúde (apresentada em 5 de agosto de 2022) será formalmente entregue à equipe de transição.

 

Convidados à plenária, estiveram presentes os ex-ministros Arthur Chioro e Alexandre Padilha, nomeados oficialmente para o grupo de transição. Chioro destacou a grande presença do SUS nas falas e preocupações do Presidente Lula. “É alvissareira a situação do onde partimos nos debates e na defesa do SUS. Nunca partimos de um patamar e de uma clareza tão bem estabelecidas como neste momento”.

O ex-ministro ressaltou que não havia a clareza, por parte da equipe do presidente eleito Lula, do quanto o orçamento do Ministério da Saúde estava sacrificado. Essa informação tem sido entendida como central no debate para a redação da PEC Emergencial. “Independentemente do mecanismo a ser adotado, esse governo vai romper com a ideia da austeridade, uma vitória do SUS”, completou Chioro.

 

Já Alexandre Padilha ressaltou o papel da Frente Pela Vida na construção da campanha Lula, o que qualifica o movimento sanitário como um dos primeiros setores a serem ouvidos pela equipe de transição. “Vamos construir um momento formal na agenda para esse diálogo. A produção da Frente vai compor o relatório que vamos entregar a Lula e Alckmin. Precisamos elaborar esse diagnóstico para construir uma terapia para a saúde do Brasil a partir desse documento”, disse o deputado federal.

 

Movimento social seguirá alegre e vigilante, no apoio e na pressão.

 

Veja a matéria completa em: Frente Pela Vida se reúne com integrantes da equipe de transição do novo governo