notíciassbb


Passaporte da vacina... É ético exigir, considerando que alguns países sequer terão acesso à imunização em longo prazo?

Em matéria divulgada pelo Canal Bem Estar (G1) sobre o tema " 'Passaporte da vacina' é boa ideia ou discriminação?", preparada pela jornalista Laís Modelli, a vice-presidente da Sociedade Brasileira de Bioética (SBB), advogada e doutora em Bioética pela UnB, Camila Vasconcelos, foi enfática: "Classificar pessoas entre vacinadas ou não, nos faz correr um grande risco de discriminação, de ofender os direitos humanos. Estaremos dizendo que uma pessoa tem mais direito que a outra por ter recebido a vacina antes e isso trará uma insegurança muito grande para a sociedade".

No texto, Vasconcelos alerta: "Também não é ético ter estabelecimentos e eventos que exijam um certificado de vacinação para deixar apenas um grupo de pessoas entrar". Para ela, a lógica deve ser a de prevenção e não o controle: "É dever desses estabelecimentos aplicarem as medidas como uso de máscaras para todos, disponibilizar lugares para os clientes lavarem as mãos e etc., mas sem discriminação", completa.

Na matéria divulgada pelo G1, o médico e advogado do Centro de Pesquisa em Direito Sanitário da USP, Daniel Dourado, ao referir-se à divulgação dos dados vacinais em um certificado para consulta de terceiros, esclareceu que as informações sobre a vacinação já são públicas e por meio da numeração do cartão do SUS, é possível consultar a situação vacinal de uma pessoa. Mas, ressaltou que a medida pode ser antiética, principalmente em países onde a vacinação não é em massa. "No Brasil, por exemplo, a pandemia está descontrolada e a imunização segue lenta e escassa, demonstrando que apenas 10% da população recebeu a primeira dose da vacina até o momento."

Para a vice-presidente da SBB, caso venha a valer um "passaporte da vacinação" como documento de viagem internacional, a população brasileira seria umas das mais prejudicadas e discriminadas no mundo. Sem um passaporte de vacina para poder viajar, estaríamos sendo punidos por ações errôneas do nosso próprio governo, e isso não é justo nem ético (...) A vacinação contra a Covid tem a finalidade de proteger as pessoas, e não segregá-las e discriminá-las", lembrou a advogada.

Acompanhe a matéria completa, clicando em:

'Passaporte da vacina' é boa ideia ou discriminação? Em sete pontos, entenda o que está em jogo