notíciassbb


Nature caracteriza como "desastre completo" o enfrentamento da pandemia de Covid-19 pelo governo brasileiro

Em artigo deste 27 de abril de 2021, o periódico britânico Nature escancara o total descaso e inércia do governo federal brasileiro no enfrentamento da pandemia de Covid-19 e o esgotamento dos pesquisadores e cientistas frente a maior crise sanitária já enfrentada pelo país.

No texto, o pesquisador Jesem Orellana, epidemiologista que atua na Fiocruz do Amazonas, afirma: "Metade das mortes era evitável. É um desastre completo." Outro epidemiologista, Maurício Nogueira, da Faculdade de Medicina de S. José do Rio Preto, desabafa: “Não temos fundos para fazer pesquisas básicas, como entender a forma que as variantes são mais ou menos agressivas? Não temos equipamentos de laboratório ou reagentes para isso”.

O artigo destaca também o negacionistmo do presidente brasileiro em admitir a gravidade da epidemia, sua resistência em adotar medidas firmes e transparentes para decretar um lockdown nacional, além de desencorajar medidas simples para evitar a propagação do vírus, como o uso de máscara e a adoção do distanciamento social.

E mais: segundo o texto, "Bolsonaro vem contradizendo a opinião científica desde o início da pandemia, quando chamou a COVID-19 de 'pequena gripe', e deu a entender, no final de 2020, que as vacinas podem ser perigosas, ironizando: 'Se você se transformar em um crocodilo, o problema é seu'."

O artigo da Nature cita ainda a conclusão de um estudo recente que acompanhou surtos de COVID-19 em todo o Brasil, entre o final de fevereiro e início de outubro de 2020, demonstrando que regiões do país que implementaram medidas rígidas, como bloqueios sanitários e uso mandatório de máscaras, apresentaram menos mortes per capita quando comparadas a outras regiões.

Veja o artigo original clicando em:

‘We are being ignored’: Brazil’s researchers blame anti-science government for devastating COVID surge

 

Acesse também:

Revista Science: A hostile environment.’ Brazilian scientists face rising attacks from Bolsonaro’s regime

Fonte: Carta Capital